SUNIporto, o reflexo de uma necessidade

Numa sociedade em que o Desporto é, ainda frequentemente, subvalorizado, aqueles que são os seus agentes, precisam de se prover das armas necessárias ao combate da ignorância e ideais preconcebidos. Armas essas que se revelam no saber e no domínio de competências. Relativamente às competências, talvez seja coerente reconhecer que dificilmente será satisfatória a aquisição de conhecimentos decorrida numa sala de aulas. Mas, aqueles que escolhem o Desporto como área de especialização superior, iniciam a corrida já uns metros à frente da linha de partida. Uma grande percentagem do seu percurso académico é traçada nos diversos recintos desportivos: os pavilhões, pistas de atletismo, piscinas, etc. Escusado será dizer, que é aqui onde a magia acontece. Atenção, a componente teórica e as bases pedagógicas são imprescindíveis à formação de um bom profissional. A questão é que, não passando disso, teremos nada mais do que pessoas que sabem coisas à cerca de Desporto, mas que, no entanto, não o são. Um bom profissional desta área, tem de ser Desporto, em toda a sua plenitude, valores e princípios.

Portanto, Profissionais do Desporto competentes não se encontram por aí “aos pontapés”, precisamente por uma grande parte dos que julgam que o são, acharem que se trata apenas de uns dar uns “toques”. Mas a verdade é que os há e, muitas vezes, são ainda (des)considerados como os que apenas correm atrás de uma bola. Quando a sociedade compreender que reduzir as competências de um Profissional do Desporto ao conhecimento empírico é o mesmo que alguém se considerar médico apenas por saber aplicar um curativo, talvez estaremos a chegar a bom porto. Até lá, não.

Por isso, há efetivamente necessidade de nos insurgirmos perante a realidade atual. De mostrarmos as competências e o valor que comportamos: aquilo que fomos capazes de retirar das salas de aula e dos pavilhões, do estudo e do suor. Somos indispensáveis ao bom funcionamento e desenvolvimento da sociedade. Caminhamos ao lado dos profissionais da saúde, dos economistas, engenheiros e todos aqueles pelos quais nos reservam o 2o lugar.

Foi a partir desta compreensão e da vontade desmedida de colocar à prova o seu valor, de forma a desenvolvê-lo, que um grupo de estudantes da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, decidiu criar a primeira Júnior Empresa de Desporto (e, posteriormente, Nutrição) em Portugal. Proporcionando a aproximação dos estudantes ao contexto profissional, permitindo a aplicação das competências adquiridas na faculdade no mercado de trabalho e, acima de tudo, trazendo valor acrescentado à sociedade. 

Aqui, cada estudante tem a oportunidade de colocar em prática as valências que reteve da faculdade, com o acréscimo de aprender a lidar com todas as contrapartidas da realidade. Pessoas, imprevistos, consequências, sucesso, insucesso, a satisfação de olhar para trás e ver um projeto que foi capaz de implementar. Mais do que uma vivência real daquilo que é o mercado de trabalho, a SUNIporto proporciona aos seus membros a realização de projetos que à priori não se concretizariam, por falta de know-how ou de recursos e ela própria cresce e desenvolve-se com isso.

Assim, entre a Organização de Eventos, Ações Formativas e Consultoria Desportiva, percorreram-se os últimos 23 meses. Uma Júnior Empresa que tem vindo a superar todas as expectativas e que terá ainda muito por onde crescer.

Mariana Oliveira

in: www.bwizer.com/magazine

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *